O discurso de Fernandes Honesto.


Fernandes Honesto, personagem que nasceu desta minha cabecinha inventiva de poeta, é um grande orador, quer dizer, um especialista no uso das palavras para a produção de utopias anestésicas ao eleitor. Inspirei-me no grande e célebre Odorico Paraguaçu, da obra O bem amado (Jorge Amado), estes a quem respeitosamente homenageio aqui. Mas aviso, qualquer coincidência é mera semelhança. O Fernandes Honesto bem poderia ser filho de Odorico. Bem, deixando de lado os entretantos e partindo direto pros finalmentes, vejamos um trecho do discurso de Fernandes na pequena cidade de Tupiniquim.
"Povo Tupininquense, venho a público deixar externada a minha repúgnia parlamentista diante das investidas oportunistas dos partidos de oposicionismo barato. Não obstantemente as dificuldades sofridas pelo povo desta cidade, ainda tenho que assistir, diante das minhas barbas, o enxotamento arbitrarista e escandaloso dos meus compatriotas eleitores, exumados das suas casas. Ainda que como prefeito eleito de forma esmagadora e legitimista, tive minha autoridade capada, de forma cruel pelo governo da capital. O povo Tupiniquense que me elegeu não pode mais sofrer diante de um governo demagogista, que labuta seus próprios interesses. Povo Tupiniquense, eu, vosso prefeito, Fernandes Honesto, irei pessoalmente falar com o governador do estado, numa conversa oficial e vos digo; não deixarei pedra sobre pedra até que se resolva a situação de Tupiniquim. Vamos amolecer a ditadura, abaixo o arbitrarismo e os abusos autoritaristas! Eu sei que estas investidas fazem parte do manobrismo oposicionistas dos partidos que se oposicionam a minha administração. Vencerei a todos e mostrarei que Tupiniquim é do povo e tem representante eleito de forma legitimada, sem deixar qualquer sombra de dúvida da vontade popular do povo Tupiniquense". (Dito isto, Fernandes Honesto encerrou o discurso sendo ovacionado na maior salva de palmas que já ecoou na praça de Tupiniquim). Dois dias após, lá estava ele, em audiência com o governador, aos risos e saboreando o excelente cafezinho oferecido pelo governo do estado. Entrou, saiu, sem dizer um ai sobre a cidade tupiniquense, resumindo-se a rasgação de seda e conversa de comadre com o governador do estado. Chegou a Tupiniquim pronto para novo discurso e nova ovação.

Por: Tony Casanova
Authentic Blog, featured by BlogUpp