O romantismo morreu?


Que estamos vivendo tempos liberais, isto com certeza não resta dúvida, mas será que hoje ainda cabe aquele romantismo de outrora? Certamente que sim, só nos resta as pérolas do romantismo passado. Em nossos tempos, infelizmente vivemos em luta contra os princípios considerados "tradicionais" em que um homem conquistava uma mulher lhe fazendo uma bela serenata. Ora, houve épocas em que isso era tiro e queda! As mulheres até choravam ao ouvir seus pretendentes cantando ao som de instrumentos de cordas. Era lindo fazer aquilo, hoje é ridículo! Nos bons tempos, homem algum permitia que a mulher descesse do veículo sem que antes ele fosse abrir a porta. Segurava-lhe a mão em auxílio. Homens tratavam mulheres como princesas. Isto sem falar no envio de flores com aquele bilhetinho sedutor, poesias mesmo. Tempos em que a violência contra mulheres era rara e oculta, uma vergonha para a sociedade e olha gente pasmem, não havia Lei Maria da Penha. As mulheres eram sedutoras e valorizadas por estarem bem vestidas. Conquistavam pela pureza, pela beleza do olhar, a doçura da voz. A palavra chave era: Voce é uma mulher encantadora! Hoje se diz "Vadia" e outras coisas impublicáveis aqui. O ato sexual era feito com muito carinho, com respeito a ela. Os homens tinham uma responsabilidade de condutores das damas, não só enquanto dançavam, mas também durante o ato sexual. Ter vivido nestes tempos é um privilégio e conservar estas memórias é um raro prazer. Nos tempos em que se valorizava o caráter, a educação e o respeito, as virtudes eram a máxima quando se pretendia alguém. Até a aproximação era lenta, cautelosa e estudada. Em nossos tempos tudo isso é "caretice", a influência da televisão e dos meios de comunicação corromperam os costumes e o que vemos em lugar dos bailinhos de matinê, os bailes funks rompendo as madrugadas. Crianças, adolescentes e até a velha guarda aderindo ao chamado da mídia. Obviamente que existem os conservadores, jovens e também a velha guarda, que como disse Roberto Carlos na sua canção: Eu sou daquele amante á moda antiga...do tipo que ainda manda flores, apesar do velho tênis...e da calça desbotada...ainda chamo de querida...a namorada. Linda canção e que me arremete aos tempos áureos do romantismo, quando se mandava flores para a namorada em qualquer tempo e não somente em datas comemorativas. Me despeço com um trecho pequeno de uma canção do enorme Reginaldo Rossi: Lembro com muita saudade/daquele bailinho/em que a gente dançava/bem agarradinho. Adote um romântico, seja romântica e melhora sua vida, pois o amor e o romantismo andam de mãos dadas.
Authentic Blog, featured by BlogUpp