A dor da traição.


A dor da traição.
Dizem que duas dores terríveis abalam o ser humano quando o afetam: a dor de dentes e a dor da traição. A dor de dentes logo passa, basta uma visita ao dentista e acabamos com a dor. Já a dor da traição abre uma ferida difícil de cicatrização. Cada pessoa lida com esta dor de forma diferente. Há quem consiga culpar-se por ter sido traído. Outros encontram outras justificativas para livrar a culpa de quem traiu, mas na maioria dos casos a dor é tão grande que culmina em ira. Grandes amarguras são vividas por quem é traído e o perdão nem sempre chega. Em lugar dele vem a vontade de vingança, o ódio, a raiva e a fúria. Há quem perdoe uma traição, mas certamente a confiança jamais será restaurada, afinal perdoar é fácil, difícil é esquecer que foi traído(a).
Sempre existem aqueles que se enganam e conceituam a traição como resultado meramente de imaturidade, mas para cada caminho que encontra-se á nossa frente existe a opção para escolher se vamos segui-lo ou não. Desta forma trair não é infantilidade, mas uma opção, uma decisão que se toma no momento do ato. É importante que as pessoas não se iludam no tocante ás razões de quem trai. Á saber a única razão pala qual alguém trai é buscar seu próprio benefício. No momento em aquela pessoa faz sua opção por trair, ela já tem consciência de que está enganando o parceiro(a). Quem trai o faz com consciência, jamais por inocência.
Deixar alguém em casa esperando dias, meses ou até anos é certamente uma condição que quem fez sabia desde a hora em que decidiu trair, portanto não cabe a justificativa de que se desconhecia estes fatos. O relacionamento a dois é complexo e exigente, cheio de espinhos pelo caminho e a traição é um dos seus tijolos mais difíceis de engolir. Ao assumirem o compromisso, não importando se casados, noivos ou apenas namorados, o casal afirma seu compromisso de fidelidade de forma automática, afinal ninguém escolhe um para agarrar-se com outro. Superar a dor causada pela infidelidade é um esforço difícil, talvez um dos sacrifícios mais duros que o ser humano tenha que fazer.
As feridas da traição levam anos para fechar e as vezes nem fecham, deixam a pessoa com traumas que a tornam amarga, insegura e frágil, desconfiada quanto a um novo relacionamento. Deixar-se conduzir pela amargura da traição é um erro tão grotesco que tira do ser humano a chance de ser feliz novamente. Todos merecem a chance de voltar a ser felizes, tentar novos amores e novas paixões. O sofrimento faz parte e certamente é através dele que nos chega o amadurecimento.

Texto de Tony Casanova - Direitos Autorais Reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução ou divulgação de qualquer espécie ou em qualquer meio sem autorização prévia do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 By Tony Casanova - All Right Reserved.