Gentileza, verdade ou mentira?


É muito comum ouvirmos falar em gentileza e percebermos a confusão que se faz entre gentileza e educação. Ser gentil é a superfície do gesto, a lisura da palavras. Educação é estilo, hábito disciplinar. Para que tenhamos noção exata desta diferença, vamos analisar que as gentilezas em geral são presentes nas palavras sempre amáveis, carinhosas e cheias de elogios. Há um certo que de falsidade em algumas pessoas gentis. Você já deve ter conhecido alguma pessoa que merecidamente foi eleito(a) como puxa-saco. A nossa questão está enfocada justamente ai, nos puxa-sacos que comumente são gentis e usam predicados, muitas vezes só para agradar.
Assim existem muitas pessoas que demonstram certa maleabilidade nas palavras e com muito jogo de cinturas e predicados são confundidas como pessoas educadas. Agora vamos ao ponto: É educado mentir? Não! Mas é gentil usar palavras lisonjeiras que de fato não correspondem ao que pensamos ou queremos dizer ao outro. Desta forma alguém que usa muitos adjetivos em uma respostas, esbanja gentileza, mas oculta a objetividade do que deseja dizer está mentindo. Ora, nós sabemos que não é não e quer dizer tudo! Então porque elogiar primeiro, enfeitar muito, falar bonito e depois negativar?
As pessoas seriam melhores se imitassem as Redes Sociais: Curto ou Não Curto, Gostei ou Não Gostei. Objetivo e direto, simples assim. Gentil é ser verdadeiro, assim não se confunde com mentira. Outro dia estava lendo uma pergunta que uma usuária fez a outra sobre seu tema de capa no álbum da Rede Social. A outra respondeu: - “Não faz bem meu estilo, mas se você gosta é o que importa.” Ótima resposta. Ela foi verdadeira e gentil sem muito salamaleque. Curta e direta. Por outro lado já lí coisas de um puxa-saquismo absurdo sendo confundidas com gentileza. Gentileza é Gentileza, mentira é mentira! Só porque se deu uma resposta com voz pausada, sorriso nos lábios e mel nas palavras não quer dizer que se está dizendo a verdade.
É preciso diferenciar o falso do verdadeiro e isto só é possível através das atitudes. Imagine seu chefe, aquele cara super “educado”, excelente orador, iniciando um discurso assim: “Olha, sei que você é um excelente funcionário, cumpre seus horários direitinho, nunca faltou. Esta empresa deve muito a você que contribuiu muito com seu trabalho...” Neste momento você já está esperando o ...Mas. Gentil, mas pouco verdadeiro. Pouco direto. Gentileza mesmo é algo que vai muito além dos cumprimentos, das boas falas e dos sorrisos e para ser gentil é preciso mais que conhecimento e oratória, mas é preciso ter educação.

Texto do Escritor Tony Casanova. Proibida a cópia, colagem, reprodução em qualquer meio ou divulgação de qualquer espécie, do todo ou em parte, sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 by Brazilian Writer Tony Casanova. All Rights Reserved.