Quanto vale um Professor?


Desde que passaram a existir eles valem muito. Dedicam-se a aprender para posteriormente dedicarem-se a ensinar. Uma saga de luta estudantil, mas que nem de perto se compara com aquilo que lhes revela a realidade em sala de aula. Lidar com a problemática da Educação e do Ensino no Brasil não é fácil, chegando em alguns casos a ser tarefa para heróis. Muitos são realmente heróis no dia a dia dos seus alunos. Seria asneira imaginar que os Professores entram em suas salas e dão a matéria e só. Não é só isso! Eles vivenciam problemas sociais mal resolvidos pelo Poder Público. A violência também se apresenta nas salas de aula e expõe o profissional a agressões que não se limitam apenas ao verbo, mas também agressões morais, físicas e até homicídios. O cotidiano das drogas já não está somente nas paredes de fora das escolas, mas lá dentro, onde se encontra o professor que inerte, nada pode fazer, apenas assiste.
Eles enfrentam a falta de condições estruturais, de material, de segurança e ainda se deparam com a má remuneração que recebem. Diante desta realidade eu deixo aqui minha pergunta para as autoridades: Quanto vale um Professor? Estou me referindo ao valor e não de preço, porque se compararmos o que recebe mensalmente hoje um professor comparado com aquilo que ele vale para o nosso País, na opinião das autoridades ele não vale muito. Para termos uma ideia e diga-se de passagem, não é nada novo, cada cidadão formado ou não, aqueles que estão em estudos, que ainda irão estudar, todos eles dependeram dos seus professores. Empresários, políticos, profissionais liberais, todos precisaram dos seus professores para alcançar seus objetivos, inclusive os membros das autoridades constituídas. Então diante da importância que possuem para a formação educacional dos brasileiros, pergunto ás autoridades; Quanto vale um professor?
Em que País estamos que as autoridades se prevalecendo do Poder que tem e da autoridade que lhes foi conferida, dão a si mesmos altos salários e imputam para aqueles que lhes ensinaram tudo ou quase tudo que sabem, salários que são incompatíveis com aquilo que representam? O que se alega é sempre o mesmo; Não há verba. Mas há verba para bancar regalias e altos salários? Esta matéria fala do valor profissional dos professores, mas bem poderia somar a eles tantos outros profissionais tão valiosos quanto e que enfrentam as mesmas dificuldades. Logicamente que esta questão da péssima remuneração e da falta de reconhecimento profissional não é de forma alguma, voltada apenas aos nossos Mestres, mas aos nossos aposentados, aos nossos médicos, aos socorristas, ás enfermeiras, aos policiais, enfim neste País, ganhar salário acima do merecimento é mérito apenas de autoridades.
O Brasil nunca foi tão político quanto hoje, nunca foi tão infame com seus Patrícios quanto agora. Nunca foi tão fácil perceber a diferença entre o Legal e o Legítimo. Porque ainda somos um País de terceiro mundo? Porque para alcançarmos o Primeiro mundo é preciso abrir mão daquilo que não queremos perder. É preciso Governar para o povo, parar de olhar para o próprio umbigo e voltar-se para o social em todas as suas áreas. Não com falsas promessas, discursos bonitos, mas com ações práticas. É preciso dizer chega! Mas quem dirá? Quem deseja perder regalias, bons cargos e altos salários para tornar profissionais dignos em suas remunerações, em suas estruturas de trabalho, em sua segurança? Dirão, por certo, que sou da Esquerda. Não meus amigos, nem Esquerda e nem Direita, eu sou o Povo. Eu nunca vi esquerda que não estivesse lutando para ter o Poder e quando tem, fazem pior do que tudo que reclamaram. O exemplo está ai. Vamos à luta, companheiros?

Texto do escritor brasileiro Tony Casanova . Direitos Autorais reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer natureza ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte dele, sem autorização expressa do autor, sob pena de infração ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Autorais.